Museu Marítimo de Ílhavo
HOMENS E NAVIOS DO BACALHAU

Arquivo digital que documenta as campanhas bacalhoeiras desde o início do século XX

Sentidos de Mar: O Porto Bacalhoeiro na Gafanha da Nazaré

25 de Abril de 2019
Sentidos de mar   abril   site mmi 1 772 9999

Nesta edição de Sentidos do Mar revive-se a epopeia portuguesa da pesca do bacalhau num passeio a pé pelo Porto Bacalhoeiro, na Gafanha da Nazaré, o coração da pesca do bacalhau em Portugal, visitando uma empresa de Bacalhau - a Barents, para descobrir estes e outros factos. No final far-se-à a degustação do bacalhau salgado seco por um jovem cozinheiro de um dos mais tradicionais restaurantes da Gafanha da Nazaré - Estrela do Mar, o chef Domenic Silva.


Sentidos de Mar - O Porto Bacalhoeiro na Gafanha da Nazaré, o coração da pesca do Bacalhau em Portugal


Passeio a pé pelo Porto Bacalhoeiro, visitando uma unidade de transformação de bacalhau, com degustação

 

25 abril | quinta-feira | 15:00

Convidados:

- António Ribau (Bacalhau Barents)
- Domenic Silva (restaurante Estrela do Mar - Gafanha da Nazaré)
- José Malaquias (artesão de miniaturas de embarcações em garrafas)

 

Em Portugal, o consumo do bacalhau começou muito antes de nós próprios o pescarmos. Terá sido introduzido no país trazido pelos povos do norte na Idade Média. E também existiriam tratados de comércio entre Inglaterra e Portugal no século XIV em que Portugal trocava sal por bacalhau.

Durante os descobrimentos portugueses, na ânsia de procurar “novos mundos”, os navegadores portugueses descobriram a "Terra Nova" do bacalhau, iniciando aí a relação secular dos portugueses com a sua pesca. Como as distâncias eram grandes (nalguns casos cerca de 2000 milhas de distância), a introdução do sal como elemento de conservação do bacalhau permitiu trazer os porões dos navios carregados de bacalhau para posteriormente ser desidratado em Portugal ao vento e ao sol, transformando o bacalhau salgado seco, a cura tradicional portuguesa, numa identidade nacional. Esta técnica contrastava com a utilizada maioritariamente pelos povos do norte da Europa, que recorriam somente a secagem, sem introdução do sal no processo.

Durante o século XX, na campanha de pesca de 1960, a frota bacalhoeira portuguesa era constituída por 73 embarcações (22 arrastões e 51 navios de pesca à linha) e, dos mais de 5.000 pescadores de bacalhau, cerca de 1.200 eram provenientes do Município de Ílhavo (logo seguidos da Figueira da Foz e de Vila do Conde, com pouco mais de 500 homens cada um).

 

Inscrições:


Inscrições limitadas e sujeitas a confirmação:

234 329 990 ∙ visitas.mmi@cm-ilhavo.pt

8,00€/pessoa

Ponto de encontro: Porto Bacalhoeiro, em frente ao navio Argus (Polynesia II)

Duração estimada: 2:30

Idade mínima recomendada: 12 anos

 

Ação integrada no ciclo de visitas orientadas Sentidos de Mar 

 

Esta atividade insere-se no projeto Territórios com História: o Mar, as Pescas e as Comunidades, programa de cultura em rede dinamizado pelos Municípios de Ílhavo, Peniche e Murtosa, no Centro de Portugal. É cofinanciado pelo CENTRO2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.