Museu Marítimo de Ílhavo
HOMENS E NAVIOS DO BACALHAU

Arquivo digital que documenta as campanhas bacalhoeiras desde o início do século XX

Logo MuSEAum

Peça do mês de junho: garfo de samos

01 de Junho de 2019 a 30 de Junho de 2019
Img 4859 site 1 772 9999

Peça constituída por pequeno cabo de madeira de forma cilíndrica com vários sulcos numa das extremidades, na qual é possível identificar uma zona plana para permitir a colocação do dedo indicador. Possui dois pequenos dentes, em ferro, feitos com pregos. A peça era usada pelos moços de convés para separarem, no dia seguinte à escala, o samo da respectiva espinha do bacalhau.

 

“[…] Começa a preparação do peixe. O troteiro, na cabeceira do quete, corta a garganta do bacalhau, abre-o até ao umbigo, dá-lhe dois golpes laterais no cachaço; na mesa de escala, o parte cabeças retira e aproveita o fígado para um cesto, arranca-lhe as vísceras do umbigo, dá-lhe dois golpes laterais no cachaço; na mesa de escala, o parte cabeças retira e aproveita o fígado para um cesto, arranca-lhe as vísceras do umbigo ao cachaço e com um movimento rápido no rebordo da mesa, separa-lhe a cabeça que arremessa para o convés e coloca-o agora ao alcance do escalador. Este tem que retirar a parte mais grossa da espinha para que o bacalhau fique espalmado; dá-lhe um golpe do cachaço ao rabo, rasga-lhe a espinha por baixo, e com um golpe, agora do umbigo ao cachaço, retira-a.[...]”.

LOPES, Ana Maria e MARQUES, Francisco, Faina Maior – a pesca do bacalhau nos mares da Terra Nova, 3ªedição, Amigos do Museu Marítimo de Ílhavo, 2015, pág. 55.


Doado ao museu pela Empresa Silva Vieira na década de noventa do século XX.

 

Conheça o garfo de samos nas Visitas à Bolina, nos dias 29 e 30 de junho de 2019